publicidade

Postagens recentes

Gostou do blog?
Então cadastre-se para receber novidades e dicas exclusivas!

Minha dica pra você

TESOURO DIRETO: COMO FUNCIONA, O QUE É, COMO INVESTIR - GUIA COMPLETO

segunda-feira, 1 de julho de 2019 /
Tesouro Direto é um investimento de renda fixa, seguro e rentável, onde você pode investir a partir de R$30,00. Além de ver seu dinheiro render, você ainda contribui para o desenvolvimento do país. Mas como funciona o Tesouro Direto? O que é? Como investir no Tesouro Direto? Essas são algumas das principais dúvidas sobre o investimento mais seguro do país. E eu respondo algumas delas neste post.

Você verá: 

  • O que é Tesouro Direto;
  • Segurança no Tesouro Direto;
  • Qual o valor mínimo para investir;
  • Quais são as taxas cobradas;
  • Usar um banco ou uma corretora?;
  • Posso perder dinheiro no Tesouro Direto?
  • Quais são os títulos públicos do Tesouro Direto;
  • Como investir no Tesouro Direto.


TESOURO DIRETO: COMO FUNCIONA, O QUE É, COMO INVESTIR - GUIA COMPLETO



  

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um projeto do Tesouro Nacional fundado em 2002 em parceria com a B3, através dele é feita a venda de títulos públicos a pessoas físicas. Sendo assim, não investimos no Tesouro Direto - como costumamos dizer - e sim em títulos públicos.

Ao comprar um título público, o investidor empresta dinheiro para o Governo Federal. Esse dinheiro é usado para financiar os investimentos em saúde, educação, infraestrutura, entre outros.

Governo nos devolve este empréstimo com juros, ou seja, Tesouro Direto é quando emprestamos dinheiro para o Governo e o mesmo nos devolve com juros.


No Tesouro Direto você empresta dinheiro para o Governo e o mesmo te devolve com juros. 


Tesouro Direto vem ganhando bastante popularidade nos últimos anos, segundo o último relatório do Tesouro Nacional, em abril de 2019 havia mais de 4 milhões de pessoas cadastradas. Um aumento de 88,3% nos últimos doze meses.


Perfil dos investidores do Tesouro Direto

TESOURO DIRETO: COMO FUNCIONA, O QUE É, COMO INVESTIR - GUIA COMPLETO

Fonte: Balanço do Tesouro Direto - Abril/2019




Tesouro Direto é seguro?

Tesouro Direto é o investimento mais seguro do país, ganhando inclusive da Poupança, isto porque ele tem garantia do Tesouro Nacional, o órgão público mais sólido do Brasil.

Esta garantia é de 100% do seu investimento, não de apenas 250 mil, como é o caso do FGC.

E outra, é mais seguro emprestar dinheiro para o Governo do que para um banco. Se alguma coisa acontecer, o Governo é o último a quebrar.

Mas e se a corretora falir? Esta é a preocupação de muita gente, era a minha também. Mas em caso de falência da corretora seu investimento continua protegido, porque ele estará quietinho lá no Tesouro e quem toma conta dele é a B3 (antiga BM&FBovespa). 

Portanto, se a corretora falir é só abrir conta em outra corretora.






Qual o valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

Existem dois valores mínimos para investir: 1% do valor do título ou R$30,00. Como assim? Veja alguns exemplos pra ficar mais claro:

  • Exemplo 1: Supondo que o Tesouro Selic vale R$10 mil, o valor mínimo de aplicação será R$100,00.
  • Exemplo 2: Se o Tesouro Prefixado estiver R$600,00, 1% corresponde a R$6,00. Mas como o valor mínimo em dinheiro para investir é R$30,00, você terá que aplicar R$30,00.


Então, mesmo que 1% do título for menos que R$30,00, você vai precisar investir R$30,00.





Taxas para investir no Tesouro Direto

Existem alguns custos para investir no Tesouro Direto e é fundamental que o investidor saiba quais são eles, alguns inclusive podem ser evitados. 

Outra coisa que você precisa saber é que mesmo havendo taxas e impostos o investimento em títulos públicos tem uma rentabilidade maior do que a Caderneta de Poupança. A poupança não cobra imposto justamente porque seu rendimento é baixo.


"Senão cobra imposto é porque não está rendendo!" - Luciana Fiaux, Educadora Financeira


Conheça as taxas cobradas para investir no Tesouro direto:

  • Taxa de Custódia: esta taxa é paga para a B3. O valor é 0,25% ao ano sobre o valor total do seu investimento;


  • Taxa de administração: valor pago ao seu agente de custódia (banco ou corretora) para intermediar seu investimento. O valor varia de instituição para instituição. Mas é certo que a taxa dos bancos é mais alta, então é melhor escolher uma corretora, muitas delas possuem taxa zero;


  • IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras): este é o imposto mais alto do Tesouro Direto, porém só é cobrado caso você resgate seu investimento antes de 30 dias;


  • Imposto de Renda: a taxa do imposto de renda é cobrada apenas em cima da rentabilidade do seu investimento, e não sobre o valor total. A alíquota é regressiva, ou seja, quanto mais tempo seu dinheiro ficar investido, menor será o valor do imposto, conforme a tabela:

Tempo
Alíquota
Até 180 dias
22,5%
De 181 até 360 dias
20%
De 361 até 720 dias
17,5%
Acima de 720 dias
15%



Tesouro Direto: Banco ou Corretora

É melhor investir no Tesouro Direto através de um banco ou de uma corretora? Para responder essa pergunta devemos analisar se a instituição financeira cobra a taxa de administração.

Os bancos cobram uma taxa maior do que as corretoras de valores. Muitas das corretoras nem cobram taxas. 

Então é melhor investir no Tesouro Direto através de uma corretora que não cobra taxa alguma. Eu uso a IDTVM (corretora do Banco Inter).

No site do Tesouro Direto há uma lista com todas as instituições financeiras habilitadas a intermediar nossos investimentos. Na lista também informa se a instituição cobra taxa ou não.  



Posso perder dinheiro no Tesouro Direto?

Sim, este risco existe no Tesouro Prefixado e no IPCA caso você resgate o dinheiro antecipadamente. Porém, se você levar a aplicação até o vencimento não há risco algum.

Só é indicado fazer o resgate antecipado caso você conheça a marcação a mercado.

Já no Tesouro Selic, é possível resgatar o investimento a qualquer momento sem perder dinheiro, pois ele tem liquidez diária.


Quais são os títulos públicos do Tesouro Direto?

Antes de começar a investir é importante conhecer os títulos públicos disponíveis no Tesouro Direto: Tesouro Selic, Tesouro Pré-fixado e Tesouro IPCA+:

1. Tesouro Selic (LFT)

Tesouro Selic é um título público indexado à Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. Seu rendimento sempre será 100% desta taxa. 

Este título será o substituto da Caderneta de Poupança, muitas pessoas já trocaram a poupança por ele (inclusive eu), pois além de ser mais seguro, rende bem mais..

O rendimento da Poupança hoje é de 4,55% ao ano, contra 6,40% da Taxa Selic. A Selic varia bastante ao longo do ano, mas seu rendimento sempre será maior que o da poupança.


O Tesouro Selic é um investimento de curto prazo que possui liquidez diária, ou seja, você pode retirar seu investimento a qualquer momento sem perder dinheiro. Porém é indicado esperar no mínimo um mês para fazer o resgate.


Este é o único título que pode ser resgatado a qualquer momento sem perder dinheiro.


Portanto, este título é ideal para pessoas que têm um objetivo de curto prazo ou que não sabem quando vão precisar do dinheiro. Também é uma ótima opção para investir a reserva de emergência.



2. Tesouro Prefixado (LTN e NTNF)

O Tesouro Prefixado é aquele em que no momento da compra sabemos exatamente qual será seu rendimento, pois contratamos uma taxa de juros fixa que valerá até o vencimento do título.

Por exemplo, se você investiu no Tesouro Prefixado com vencimento para 2021 e taxa de juros de 6% ao ano. Significa que seu rendimento será de:
  • 6% em 2019;
  • 6% em 2020;
  • 6% também em 2021.

Este título é indicado para quem tem objetivos de médio prazo e pode esperar até o vencimento para fazer o resgate, pois se retirado antecipadamente há a possibilidade de perder dinheiro.

OBS: sua aplicação não fica presa, se você quiser resgatar antes do vencimento é possível, mas existe o risco de perder dinheiro. Já se levar o título até o vencimento não há perigo nenhum, você irá resgatar todo o dinheiro acrescido da rentabilidade contratada.



3. Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

É praticamente igual ao título anterior, quando investimos nele sabemos a rentabilidade até o vencimento. A diferença é que aqui você recebe o rendimento a cada seis meses, e não no vencimento do título. 

Existe uma grande desvantagem nos títulos com juros semestrais, cada vez que você recebe esses juros (a cada seis meses) é descontado o valor do Imposto de Renda. Sendo assim, o valor do imposto sairá mais alto do que se você resgatasse todo o investimento no final da aplicação.


O Imposto de Renda é descontado a cada resgate.


Segundo educadores financeiros, este título não é um bom investimento justamente por conta dos juros semestrais.



4. Tesouro IPCA+

Este é um título pré + pós, aquele que rende uma taxa de juros prefixada + uma taxa pós-fixada.

A taxa fixa você conhece no momento da aplicação e é indicado prestar atenção nela. A pós-fixada será o valor do IPCA (índice que mede a inflação do país).

Vamos a um exemplo, você comprou um título que rende o valor do IPCA + 5% ao ano. Significa que você vai receber:

5% ao ano + IPCA (que varia a cada mês)

Este título é ideal para quem possui objetivos de longo prazo como a aposentadoria, e para quem consegue esperar até o fim da aplicação para fazer o resgate.



5. Tesouro IPCA+ com juros semestrais


Assim como o título anterior, este rende uma taxa prefixada + a taxa fixa. Porém, você receberá o valor dos juros a cada seis meses, e não no vencimento do título.

Neste título, o imposto de renda é descontado a cada semestre, o que não o torna tão atrativo. Como eu já disse, não é recomendado investir em títulos com juros semestrais.





Salva lá no Pinterest 😊

TESOURO DIRETO: COMO FUNCIONA, O QUE É, COMO INVESTIR - GUIA COMPLETO





Como fazer investimento no Tesouro Direto?

Para finalizar vamos ver como investir no Tesouro Direto... O processo é feito a partir do seu smartphone, legal, né? Siga os seguintes passos:


1. Abra sua conta na corretora
O primeiro passo para investir no Tesouro Direto é abrir conta em uma corretora de confiança. Veja se a mesma se encontra na lista de instituições habilitadas

Baixe o aplicativo no meu smartphone e abra sua conta. Em seguida, transfira a quantia que deseja investir. A transferência precisa ser feita da sua conta bancária para a conta da corretora.

Dica: prefira um banco que não cobre taxas de transferências TED. Por exemplo, Banco Inter, e Nubank.

*O Nubank não é um banco, mas realiza transferências através da NuConta.


2. Acesse sua conta
Entre na sua conta da corretora, clique na opção Investimentos → Tesouro Direto. Lá você verá todos os títulos disponíveis juntamente com as informações úteis: rendimento, valor mínimo para investir, data do vencimento.



3. Escolha seu título
A essa altura você já conhece a diferença entre cada título que foi abordada no tópico "Quais são os títulos públicos do Tesouro Direto?".

Mas a escolha do seu título deve ser feita com calma, defina seu perfil de investidor, seus objetivos, quando o resgate precisa ser feito.. Enfim, reserve um tempo para decidir qual é o melhor título para você. 

É legal usar também o simulador do Tesouro Direto pra ver quanto seu investimento vai render.



4. Invista
Após escolher seu título clique em Agendar e finalize seu investimento, este processo pode variar de acordo com a corretora, mas é só seguir os passos do aplicativo. O horário para investimento é das 09:00 às 18:00 de segunda a sexta-feira.

OBS: os horários também podem variar de corretora para corretora.



Alguma dúvida sobre como funciona o Tesouro Direto? Deixe nos comentários.

O post foi útil? Então compartilhe para ajudar na divulgação!


Me siga no Pinterest para mais dicas sobre finanças e investimentos:








Fonte de Pesquisa: Rico


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Muito obrigada por ler o post e por se dispor a comentá-lo. Marque a opção "notifique-me" para ser notificado quando eu responder seu comentário.

Tema feito com amor por